ondragstart='return false'> oncontextmenu='return false'> onselectstart='return false'> expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sábado, 15 de janeiro de 2011

O esperar chegar...

No silêncio dessa madrugada fria, me sinto pronta a derramar todas as lágrimas que por ventura quiserem cair. E a cada gota escorrida horizontalmente neste rosto quente que tenta adormecer, percebe que aquilo que pensara ter adormecido acaba por se remexer...continua deitado, mas já abriu os olhos.
E ainda na incerteza de todas essas coisas da vida e que é a vida, me sinto cada vez mais imersa num sonho admensional criado por Deus.
Contra a minha vontade, os últimos dias, foram sendo acelerados e automatizados; tudo isso para que eu não percebesse a peça que estava e está fora do lugar.
Todas as questões a serem resolvidas. Todas as iniciativas a serem tomadas. Toda a paciência pelo esperar chegar...
Normalmente embalados por música e poesia, meus dias foram se dando e se deram e os que passaram, não darão mais nada! Começo acreditar num "destino" feito por mim e pelo Nazareno, que nenhum astro fora do lugar poderá mudar qualquer que seja a minha força e a minha essência.
Essência é uma palavra que se repete em muitos momentos da minha vida, e que são destacados e transcritos cada vez mais para que eu nunca esqueça de que jamais posso deixar de ser quem realmente sou. Posso acrescentar, mas nunca mudar aquilo que amálgama o meu Ser. Posso fomentar, mas nunca deixar de ser. E que o antes de ontem, ontem ou depois, já não posso mais pesar. O agora passa por mim como uma estrela cadente, e a ele faço o meu pedido.
-Que em nenhum dos meus dias eu deixe de sentir emoção!
Incrivelmente uma calmaria e paciência me toma. Me faz mansa... Me torna tão cheia de tanto vazio preenchido de um amor divinal, que me deixa em pé. Que me acorda todas manhãs, que me faz recomeçar e amar ainda quando não é a minha vontade.
Num coração mole que não consegue se conter, a garganta se faz nó e os olhos se fazem rio, inundam tudo que é sertão e permitem que a seca desse coração, não mate o que foi plantado.
A chuva vem para os que crêem e esperam o sertão virar mar!

9 comentários:

  1. Perfeito!!! o mais belo dos belos.
    faço minhas as palavras de Digo: " Uma dádiva escrever tão bem".
    perfeito sister.. sem palavras, tocou bem lá no fundo. :'(
    lindo0o0o!!
    parabens!!
    Rayanne Marinho

    ResponderExcluir
  2. Depois do Prefácio, Introdução e Dedicatória, esse vai abrir o Livro!

    ResponderExcluir
  3. qnd eu crescer quero escrever esse tipo de coisa *O*

    ResponderExcluir
  4. qnd eu crescer quero escrever esse tipo de coisa *O* [2]

    ResponderExcluir
  5. Olha,

    Só o título desse texto já deu um nó no meu coração.

    Dos que eu li até agora, é o mais rico de vitalidade e de tua essência.

    Ele é tão rico e tão sagrado, que não merece ser qualificado como mero texto.

    Desses momentos é que surgem as verdadeiras PRECES.

    Merece ser rezado todos os dias da tua vida.
    E da minha.
    E de que mais tocar.

    ResponderExcluir
  6. May, acabastes de arrancar lágrimas de meu rosto...

    ResponderExcluir